Gestão de Farmácia Hospitalar


Instituição

Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental - HEM

Autores:

Hugo Lopes, Andrea Rodrigues Lopes, Helena Farinha, Ana Paula Martins

O que foi feito ?:

Definimos, pela primeira vez em Portugal, um conjunto de indicadores-chave de desempenho das Farmácias Hospitalares, nas suas atividades clínica (cpKPIs) e de suporte (saKPIs), considerados relevantes e mensuráveis, que permitem uma avaliação transversal do desempenho das Farmácias Hospitalares e seus farmacêuticos.

Porque foi feito ?:

De acordo com vários estudos, os cpKPIs podem ser usados para avaliar a qualidade da prestação de cuidados farmacêuticos, benchmarking dentro e entre organizações no sentido de aproximação de práticas e de outcomes esperados, elevar a responsabilidade profissional e transparência dos resultados, assim como na identificação e redução de erros clínicos. Por outro lado, é também fundamental a definição de indicadores de desempenho direcionados às atividades de suporte (saKPI), uma vez que a manutenção de serviços de suporte eficientes é condição essencial para o desenvolvimento de atividades clínicas sustentadas que possam agregar maior valor ao doente. Não obstante, embora a Farmácia Hospitalar desempenhe um papel crucial na garantia da qualidade da prestação de cuidados de um hospital, não existe um sistema padrão nacional de avaliação das suas atividades, nem qualquer estrutura nacional que permita comparações/benchmarks entre o desempenho das farmácias em relação às suas atividades clínicas ou de suporte.

Como foi feito?:

A definição da lista de indicadores de desempenho (cpKPI / saKPI) foi realizada em duas etapas: 1) revisão da literatura com foco nas métricas já utilizadas em outros países e reuniões com diretores de Farmácias Hospitalares para obter as suas perspetivas sobre as práticas de farmácia hospitalar e métricas existentes; 2) realizadas cinco rondas com um painel de 8 peritos, onde cada especialista pontuou cada indicador quanto à sua relevância e mensurabilidade, assim como incentivados a sugerir novas métricas.

O que se concluiu?:

Foram avaliados um total de 136 KPIs, dos quais 57 foram incluídos na lista original e 79 adicionados posteriormente pelo painel de peritos. No final do estudo, foram incluídos 85 indicadores na lista final, dos quais 40 são considerados saKPI, 39 cpKPI e 6 nenhum dos anteriores. Foi assim estabelecido um conjunto de KPIs mensuráveis para permitir o benchmarking dentro e entre as Farmácias hospitalares portuguesas e elevar a responsabilidade e transparência profissional.

O que fazer no futuro?:

Desafiar todas as Farmácias Hospitalares a adotarem estes indicadores de desempenho e, posteriormente, organizar um evento público denominado “TOP Farmácia Hospitalar”, identificando os desempenhos mais eficientes e áreas de possível melhoria à escala nacional (hospitais dos agrupamentos da ACSS).

Palavras chave :

Farmácia hospitalar; Indicadores chave de desempenho; Atividades Clínicas e de Suporte.
 
ORDEM DOS FARMACÊUTICOS
Rua da Sociedade Farmacêutica 18,
1169-075 Lisboa

TELEF: 213 191 382 - Fax. 213 191 399
Email: colegios.especialidade©ordemfarmaceuticos.pt

© ORDEM DOS FARMACÊUTICOS - COLÉGIOS DE ESPECIALIDADE